Posts Tagged ‘Casamento’

Curiosidades de Casamento – VIII

.


Lua de Mel

.

A lua-de-mel  é o período de celebração privada que sucede ao casamento, por parte do marido e da esposa.

Há diversas versões sobre como se originou a lua de mel. Uma delas é de que na Roma Antiga, o povo espalhava gotas de mel na soleira da casa dos recém-casados. Outra afirma que entre os povos germânicos, era costume casar na lua nova, e os noivos levavam uma mistura de água e mel, denominada hidromel, para beber ao luar.

A que reponta mais a antiguidade é de dois mil anos antes de cristo, na Babilônia, o pai da noiva oferecia ao genro hidromel, para ser consumida nos 30 dias imediatos ao casamento, quando os noivos comemoravam, só entre eles, a união matrimonial. Na época, a contagem dos dias era feita pelo calendário lunar, razão pela qual esse período de comemoração ficou conhecido como “lua de mel”.

Posteriormente, esse período privado pós casamento foi se assemelhando cada vez mais à forma que conhecemos atualmente, isto é, um período reservado aos noivos para que comemorem de forma íntima, a celebração da união em matrimônio, através de uma viagem.

Os destinos escolhidos para a tão sonhada lua de mel  se tornam cada vez mais sofisticados, inusitados e cheios de serviços exclusivos. Há hoje no mercado hotéis, resorts e agências de turismo, especializados exclusivamente no fornecimento de serviços para este fim.

Paris ainda é o destino mais escolhido para a lua de mel, seguido do Tahiti e da Grécia.

Mas uma coisa é certa, não importa o destino da viagem, seja na praia, montanha ou na neve, seja aqui mesmo no Brasil ou no exterior,  lua de mel inesquecível,  é aquela que é conseqüência de um casamento preparado com carinho, atenção e amor.

.

Fonte: Wikipédia

Curiosidades de Casamento – VII

.

..

Damas de Honra e Pajens

.

No Brasil, o conceito referente a damas de honra e pajens é bem diferente dos países do hemisfério norte. Por aqui,  damas de honra e pajens são as crianças que carregam as alianças, podendo também espalhar pétalas de rosa a pedido dos noivos, durante o cortejo da cerimônia de casamento.

Nos Estados Unidos e grande maioria dos países da Europa, esse conceito infantil quase não é utilizado, haja vista que lá as “damas” e “pajens” normalmente são os melhores amigos dos noivos. Conceito que se assemelham mais ao que conhecemos com padrinhos.

Tradicionalmente, as crianças carregam um cesto cheio de pétalas, mas existem alternativas, que incluem doces embalados ou confetes. Também, em vez de dispersar os itens acima, elas podem carregar uma única flor ou um mini buquê de rosas, que deve sempre combinar com o buquê da noiva.

Algumas damas de honra, até pela pouca idade (de três a oito anos), às vezes se sentem inseguras, com medo ou vergonha de entrar na igreja, por isso é sempre bom selecionar mais de uma dama de honra, caso precisem substituir a criança na hora do casamento. É sempre bom tentar conversar com a criança e comunicar a importância de seu papel, minimizando a pressão.

Para isso, a noiva pode explicar as funções da dama de honra com bastante antecedência, para acalmar a menina. Os pais devem acompanhar com conversas estimulantes e muitos ensaios para evitar qualquer surpresa desagradável no grande dia. Contudo, é sempre bom ter em mente que ter que tudo o que a daminha de honra ou pajem  fizerem entre choro, deixar cair o que trazem nas mãos, tropeçar, levantar o vestido ou falarem,  será facilmente contornado pela espontaneidade de suas ações e por sua graciosidade infantil, fazendo com que os convidados sorriam e se encantem com a situação.

Mas independente da idade, do grau de parentesco e da função que desempenhem durante o cortejo de entrada e saída, o certo é que as crianças, enquanto damas e pajens, agregam grande valor a cerimônia, sendo assim indispensáveis para qualquer cerimônia inesquecível.

Fonte: Wikipédia

.

Curiosidades sobre Bodas

A palavra boda vem do latim vota (plural de votum -promessa) referida ao fato de fazer os votos matrimoniais. Com a confusão do neutro em latim vulgar perdeu seu sentido e confundiu v por b.

Uma lenda atribui uma falsa etimologia a que na antiga Judéia[1][2] tinha-se o costume de matar um cabrito para o churrasco nas comemorações de casamento ou aniversário de casamento. Com o tempo, o cabrito foi substituído pela fêmea do bode, a “boda”, cuja carne era muito mais macia. Matar a “boda” era sinal de que haveria festa. Devido a isto o nome “boda” passou a ser sinônimo de festa, hoje em dia mais falada para casamentos.

Para cada ano, existe um material que representa uma nova etapa. É tradicional, na cultura ocidental, comemorarem-se com bodas os eventos relativos ao casamento, e com o jubileu, outros fatos marcantes da vida social.

Esta tradição vem da Alemanha, onde era costume que um povoado oferecesse uma coroa de prata aos casais que fizessem 25 anos de casados, e uma de ouro aos que chegassem aos 50. Com o passar do tempo, o número de símbolos tem vindo a aumentar e a tradição de oferecer presentes específicos relaciona-se directamente com as etapas da vida, logo a tradição expandiu-se pelo resto do mundo. Para cada aniversário, os obséquios eram de materiais diferentes, que iam dos mais frágeis aos mais fortes, conforme a progressão do número de anos, o que simbolizava o aumento da resistência da relação.

Para marcar cada um desses eventos se associa a cada data das bodas algum material que o represente. Na joalheria, tradicionalmente são produzidas as alianças de bodas de prata, que correspondem a 25 anos de casamento, e bodas de ouro (50 anos). Para as demais, geralmente são confeccionados anéis utilizando-se os materiais ou a pedra correspondente, conforme a lista abaixo:

1º. ano: Bodas de Papel
2º. ano: Bodas de Algodão
3º. ano: Bodas de Neve
5º. ano: Bodas de Madeira
6º. ano: Bodas de Caramelo
7º. ano: Bodas de Nylon
8º. ano: Bodas de Bronze
9º. ano: Bodas de Cipermetrina
10º. ano: Bodas de Alumínio
11º. ano: Bodas de Aço
12º. ano: Bodas de Seda
13º. ano: Bodas de Renda
14º. ano: Bodas de Marfim
15º. ano: Bodas de Cristal
20º. ano: Bodas de Platina
25º. ano: Bodas de Prata
30º. ano: Bodas de Pérola
35º. ano: Bodas de Coral
40º. ano: Bodas de Rubí
45º. ano: Bodas de Safira
50º. ano: Bodas de Ouro
55º. ano: Bodas de Esmeralda
60º. ano: Bodas de Diamante
75º. ano: Bodas de Platina

Sendo celebrações, as bodas de prata e ouro são ocasiões únicas de celebrar não só a união dos casais, mas também o dom da vida, já que nesses eventos se celebram também a constituição das famílias, na presença dos filhos, netos e bisnetos.

E sendo uma ocasião especial, o Luzzia Buffet não poderia deixar de oferecer um serviço impecável e totalmente personalizado. Possuímos 28 anos de experiência na arte de celebrar. Venha realizar suas bodas conosco e torne esse momento sublime ainda mais inesquecível.

Fonte: Wikipédia

.

Nosso Twitter

Assuntos